venerdì 11 maggio 2012

Anche in Brasile piace l'albergo diffuso

7/05/2012 - 07h00

Descubra o charme de antigos povoados italianos transformando-se em um de seus habitantes

Anelise Sanchez
Do UOL, em Roma
Comentários4
A Itália sempre foi um dos “sonhos de consumo” dos brasileiros. No entanto, mesmo quando o desejo de visitar esse país se realiza, a oportunidade de escapar da multidão de turistas, entrar no verdadeiro ritmo das cidades italianas e interagir com os nativos são realmente poucas.

Sobretudo depois da multiplicação de companhias aéreas que oferecem vôos “low cost”, ficou cada vez mais difícil fotografar os grandes monumentos italianos sem esbarrar em centenas de outros estrangeiros, entrar em um restaurante e saborear pratos genuínos, em vez de macarrão pré-cozido congelado, ou poder passar uma tarde inteira curtindo o ritmo lento de uma pequena cidade de província.

Conheça opções de "alberghi diffusi" na Itália

Foto 7 de 13 - 2 Campanili é o nome de um relais localizado em Montemaggiore al Metauro (Marche), sobre uma colina da qual é possível avistar o mar Adriático, na ItáliaDivulgação/Associazione Nazionale Alberghi Diffusi

Por estes motivos, pensando em atrair quem detesta a formalidade dos hotéis tradicionais e prefere camuflar-se entre os habitantes da cidade visitada, foi criada na Itália um novo tipo de hospitalidade; o chamado “albergo diffuso”, ou hotel espalhado.

O sistema é simples, mas inovador e inteligente, e consiste em transformar diversos povoados italianos ou inteiras cidadezinhas em uma estrutura hoteleira capaz de hospedar turistas do mundo inteiro.

Em outras palavras, é como se você tivesse não só a chance de morar em uma cidade italiana, mesmo que por poucos dias, mas também de conhecer os seus residentes, experimentar os sabores e perfumes locais, arriscar falar algumas palavras na língua local e bater papo com os seus comerciantes, além de vivenciar uma experiência única. O melhor de tudo é que o “albergo diffuso” consegue aliar a comodidade do hotel convencional com a liberdade de hospedar-se em uma casa italiana e, assim, descobrir pessoalmente a cultura e a história do lugar visitado.

A inovadora fórmula de hospitalidade foi adotada, principalmente, por aqueles povoados antigos, que antes eram quase desabitados, e que foram totalmente revitalizados graças a este novo sistema hoteleiro.

Na prática, o “albergo diffuso” possui todos os serviços e comodidades oferecidas por um hotel tradicional, como recepção, salas para servir o café da manhã e restaurante. A grande diferença é que estas estruturas não estão reunidas em um único edifício, mas são distribuidas em diveros imóveis de prestígio situados no mesmo centro urbano. Dessa maneira, utilizando este “hotel horizontal”, é como se o turista se transformasse em um vizinho da comunidade local, compartilhando com ela os seus hábitos e as suas grandes tradições.

Assim como o Brasil, a Itália está repleta de cidades interessantes para o turismo e essa nova forma de hospitalidade é uma ótima pedida para desvendar os segredos, a história e as paisagens de 13 das 20 regiões italianas.
  • Divulgação/Associazione Nazionale Alberghi Diffusi
    A pequena cidade de Smerillo, na Itália, tem apenas 400 habitantes; um lugar que parece ter parado no tempo

Na Toscana, por exemplo, um dos destinos preferidos pelos turistas do mundo todo, existem estruturas como o chamado Borgo di Sempronio, um “albergo diffuso” criado dentro de um antigo povoado habitado por camponeses. Dali, é possível visitar lugares como as águas termais de Saturnia e as vilas etruscas de Sorano, Sovana e Pitigliano. Nesse caso, o preço médio da diária varia entre 60 e 100 euros.

A poucos quilômetros da famosa cidade fortificada de Urbino, encontra-se outra jóia do turismo italiano; um lugar que não economizou criatividade e dinheiro para restaurar um povoado do século 18 e que hoje é sede do “albergo diffuso” Urbino Resort.

Outro lugar interessantíssimo, onde ainda se vive à italiana, é o “albergo diffuso” Sextantio. Localizado dentro do povoado medieval de Santo Stefano di Sessanio, a poucos quilômetros do centro de L’Aquila e no interior do parque nacional Gran Sasso - Monti della Laga, a estrutura possui 46 aposentos, laboratórios de artesãos locais, uma cantina com produtos enogastronômicos e um spa, entre outras atrações. Não é à toa que, com cada vez mais frequência, os turistas estrangeiros preferem locais como este, onde se degusta com prazer um boa taça de vinho ou uma fatia de salame ciausculo, admirando as colinas ao redor.

Para quem ama a tradição e não exige tanta sofisticação, uma “albergo diffuso” curioso é La Piana dei Mulini, na região de Molise. Trata-se de uma estrutura totalmente construída em pedra no início de 1800 e que, antigamente, era utilizada como moinho de água e para a coloração de lã. O local foi totalmente reformado, respeitando a sua arquitetura original, e hoje oferece acomodações acolhedoras e uma excelente culinária.

É possível ainda é desvendar a Sardenha, voltando 200 anos no tempo e hospedando-se no “albergo diffuso” Omu Axiu, a 70 km da capital Cagliari, e conferir de perto como era a vida de quem bordava lençóis, cultivava os campos e preparava o pão em uma típica casa da ilha italiana mais procurada durante o verão.

Para consultar a lista completa de hotéis espalhados presentes em território italiano, consulte www.alberghidiffusi.it, telefone para a Associazione Alberghi Diffusi (+0039 0874471608) ou escreva para info@alberghidiffusi.it.

1 commento:

  1. amo l'architettura delle case romane che sono state costruite in tempi antichi

    RispondiElimina